fórum papelcartão sustentável
Espaço aberto para o diálogo entre os elos da cadeia de produção,
consumo e reciclagem de papelcartão em prol da sustentabilidade

A+A-

news

5 junho 2012
Da origem ao descarte final: embalagens com papelcartão são grandes aliadas do meio ambiente

 

O Fórum Papelcartão Sustentável celebra o Dia Mundial do Meio Ambiente com orgulho de representar um produto 100% sustentável em todo o seu ciclo de vida – de sua matéria-prima renovável até seu descarte e reutilização. O papelcartão certificado, utilizado para a confecção de embalagens de alimentos, remédios, cosméticos, bebidas, brinquedos e também capas de livros, além de proporcionar total segurança e preservar a qualidade do conteúdo, abrange em sua produção etapas industriais responsáveis de ponta a ponta.

 

A sustentabilidade do papelcartão tem origem no papel reciclado pós-consumo e, principalmente, na celulose extraída das florestas plantadas de pinus ou eucalipto, cultivadas exclusivamente para fins industriais e de acordo com as mais modernas e eficientes práticas de manejo sustentável. Essa atividade contribui para a preservação, recuperação e proteção de 2,9 milhões de hectares de florestas nativas, o equivalente a três milhões de campos de futebol, com destaque para a Mata Atlântica.

 

Além de manter viva a floresta nativa e servir de corredor ecológico para milhares de espécies, o cultivo de árvores para a fabricação do papelcartão é um grande aliado na absorção de CO2 da atmosfera e para o estoque de carbono. Só para ter uma ideia, os 2,2 milhões de hectares de florestas plantadas para fins industriais no Brasil absorvem, em média, o triplo do volume de gases emitido por outras etapas do processo produtivo – ou seja: enquanto a indústria emite 21 milhões de toneladas de CO2, as florestas plantadas sequestram 64 milhões de toneladas do gás. Segundo a Associação Brasileira de Celulose e Papel - Bracelpa, 8,28% foi a redução das emissões de CO2 equivalente do setor de celulose e papel entre 2009 e 2010.

 

Após a etapa agrícola referente à matéria-prima, o processo produtivo também adota práticas sustentáveis: a matriz energética é primordialmente renovável – das hidrelétricas à biomassa. O licor preto, resíduo da madeira resultante da extração da celulose, também serve como combustível para as caldeiras nas fábricas. Os recursos hídricos também são usados em sua máxima eficiência: 96,2% de toda a água consumida vem dos rios, daí o empenho da produção nacional em reduzir suas taxas de consumo, tanto nas fábricas atualmente em construção quanto nas unidades que operam há mais de 20 anos. Só em 2010, segundo o Relatório de Sustentabilidade da Bracelpa, que compila dados da produção em todo o País, o total de água reciclada/reutilizada foi de 228,5 milhões de m3, o equivalente a 34,3% de todo o volume utilizado por essa indústria no ano.

 

Insumos e resíduos utilizados na produção do papelcartão também são reaproveitados nesse setor, podendo ser encaminhados a outros segmentos industriais, nos quais se tornam matéria-prima para, por exemplo, a fabricação de telhas e outros materiais da indústria de construção civil. Já os resíduos florestais do processo produtivo – galhos, e cascas – são mantidos no campo, como proteção e adubação do solo; e parte das cascas e dos cavacos inservíveis para a produção de celulose é encaminhada para a queima em caldeiras que geram vapor para o processo produtivo.

 

Por fim, o produto acabado é destinado à indústria de convertedores, gráficas e distribuidores que usarão o material nas embalagens dos produtos mais variados, como alimentos congelados, bebidas em pacotes longa vida, sabonetes e perfumes, caixas de brinquedos e até capas de livros. Após seu completo uso, o papelcartão é 100% reciclável e biodegradável, sendo aproveitado por cooperativas de coletas que destinam o material à indústria para que seja transformado em nova matéria-prima a outros derivados do papel. 

 

 

Fonte: Associação Brasileira de Celulose e Papel - Bracelpa (www.bracelpa.org.br)

          Revista SuperInteressante, edição 299 - Dezembro 2011 

 

design by müller camacho design comunicação